Tenho sentido muitas saudades das viagens que fiz. Não saberia, nunca, explicar a sensação feliz que me dá rever fotos, vídeos e conversar com os que lá conheci. Escrevi alguns textos tentando juntar momentos, conversas, sensações sentidas e vividas nos tantos lugares pelos quais passei. Há acréscimos, eu preciso mencionar. É ficção, portanto. Mas, os textos deste blog são completamente carregados de nostalgia... esperança... e vida! Vida, que é o estado em que quero estar permanentemente!
Boa leitura!!!

quarta-feira

Ubajara, 27 e 28 de Dezembro de 2012

Através da empresa Guanabara é possível viajar para qualquer cidade da serra de Ibiapaba. Para Ubajara, a passagem custa em média R$ 32 (ida), com ônibus confortável, com banheiro e ar-condicionado. Na ida, saímos às 10h da manhã, com uma parada, de cerca de uma hora, em Itapajé. Chegamos em Ubajara depois de cerca de 7h de viagem. A estrada tem trechos em construção, o que dificulta a viagem. Porém, na volta, escolhemos viajar à noite, assim, não há paradas e o trajeto fica em cerca de 5h30min. Chegando na rodoviária, é possível encontrar táxi; mas, para os que preferem moto táxi, é melhor descer mais no centro da pequena cidade de Ubajara. 

Fim de tarde em Ubajara

Luzes natalinas na pracinha de Ubajara

A região tem produção holandesa de Flores

Como o único camping da região fica no Sítio do Bosco, em Tianguá, cidade um pouco distante do Parque Nacional de Ubajara, destino que queríamos ir, o jeito foi alugar uma pousadinha próximo ao Parque. A Pousada Gruta é bem modesta (pequeno quarto para casal, com banheiro, chuveiro quente e televisão), mas oferece café-da-manhã delicioso:

Café da manhã regional e orgânico

A tradicional MARACUCHAÇA é a bebida típica da pousada

Comida e bebida com preços bastante razoáveis

Como toda típica cidade do interior, Ubajara é pequena, sem outros atrativos que o Parque Nacional de Ubajara; e foi pra chegar a ele que viajamos em média 6h de Fortaleza. Com uma média de 563 hectares, o parque é o menor do Brasil, mas isso não significa que sua beleza é inferior. Embora pouco explorado em termos de atrações turísticas (para nós, que adoramos fazer grandes trilhas, foi meio decepcionante), a flora e fauna ainda preservadas valem a pena:

Flora local

Flora local

Início da trilha

Cipós pelo meio do caminho

Cada grande árvore com a legenda ao pé


Plantas parasitas

Várias pedras no meio do caminho

Gavião procurando comida

Se não fosse a seca, poderíamos ver, deste mirante, todas as cachoeiras do Parque

Eu e Pierre no Mirante

Lírios do campo

Formiga gigante.. nem queira uma picada dela

Eu e Pierre na trilha

Bambuzal que está devorando uma árvore grandona

Moradores, com jumentos, transportam carvão pela trilha

Nosso roteiro

Contraste lindo

Lá no topo a primeira queda d'água (sem água, infelizmente)

Mais cipós

Um pouco de água no trajeto

Mata marrom e cinza, de tanta secura

Caatinga e Mata Atlântica

Depois de uma pequena trilha de 7km, chegamos à Gruta de Ubajara. Encontrada por índios no século XIX, a gruta se tornou, anos depois, palco de casamentos e batizados de romeiros, o que fez com que, hoje, ela estivesse muito depredada:

Entrada da gruta








Dá um friozinho na barriga ouvir aquele monte de morcegos loucos dentro da gruta. Felizmente, apenas 30% da gruta pode ser visitada, a fim de evitar mais danos. Durante a visita, o guia fecha, por alguns segundos, as luzes artificiais e é possível sentir realmente a calmaria na escuridão. Na saída, a única maneira de voltar para a entrada do Parque é através do teleférico. Pagamos R$ 4 para atravessar 500m de teleférico, sobrevoando as árvores e montanhas:




No segundo dia, resolvemos voltar ao Parque e solicitar ao guia uma variação na única trilha do lugar. Ele nos levou por uma trilha que leva a uma cachoeira (seca, infelizmente), mas que nos proporciona uma vista espetacular:

Resquícios de café pelo Parque

Pés de cafés que ainda resistem
Pé de guaraná falso

Semente de guaraná falso

Jatobá

Por dentro, o Jatobá tem aparência de uma banana.. rsrsrs

Do mirante da Cachoeira, é possível ver o Teleférico

Perigo! Proibido acesso!

Os aventureiros em Ubajara

Flora

Flora

Flora

Flora

Formigueiro gigante

Aranha... faz medo não, tá morta

Mais uns filetezinhos de água

Florzinha linda, no chão

Pele de cobra... pense num medo!
 
Lindas...

Fauna

Fauna

Pra fechar, uma sesta agradável com a Maracuchaça:

2013, você já pode vir!