Tenho sentido muitas saudades das viagens que fiz. Não saberia, nunca, explicar a sensação feliz que me dá rever fotos, vídeos e conversar com os que lá conheci. Escrevi alguns textos tentando juntar momentos, conversas, sensações sentidas e vividas nos tantos lugares pelos quais passei. Há acréscimos, eu preciso mencionar. É ficção, portanto. Mas, os textos deste blog são completamente carregados de nostalgia... esperança... e vida! Vida, que é o estado em que quero estar permanentemente!
Boa leitura!!!

quarta-feira

Lyon, 12 de julho de 2011

Hoje o dia foi tranquilo. Precisávamos descansar depois de tanto batermos perna no Festival. Hora de pôr as roupas na máquina de lavar, tirar tudo de dentro da mala, descarregar as fotos, rever os vídeos etc. Fizemos mais um almoço tranquilo com a agradável família de Pierre. Depois pedi a Martine (minha sogra) acetona e esmalte para voltar à beleza de dantes... rsrsrs. Ela, muito gentilmente, me cedeu tudo e sugeriu novas cores.


No primeiro dia que cheguei, Martine e Olivier nos ofereceram um jantar num restaurante super tradicional do centro de Lyon (caro também, diga-se). Só pra se ter ideia, é preciso ligar antes para marcar os assentos lá. O atendimento é vip, o vinho selecionadíssimo, os garçons de prontidão para qualquer possível necessidade e a vista agradável das ruas e prédios do centro. Decidiram que íamos hoje. Dia especial, inclusive, porque Martine e Olivier completam 15 anos de casados. Um vida...

Pierre, eu e Martine


Eu e Olivier

Os pratos principais:
Quenelle de Lyon (Olivier)


Tablier de Sapeur (Martine)


Omble Chevalier (Pierre)


Andouiellette (meu)

A vista do centro burguês de Lyon:

Um comentário: